Sistemas comerciais – tipos de softwares comerciais

As pessoas gostam de definições, o que parece lhes tornar mais facilitado o intento de aprender sobre o objeto de seu interesse e também de classificações ou “taxonomias”.
Os outros sistemas componentes dos sistemas de informação, parte integrante da tecnologia da informação aplicada, podem assim ser classificados como:

  • Softwares “sistemas operacionais” simples ou em rede.
  • Softwares aplicativos.
  • Softwares de produtividade.
  • Utilitários.
  • Softwares para atendimento de necessidades específicas.

Um outro tipo de classificação considera classificar os softwares aplicativos por sua fonte:

  • Softwares proprietários
  • Softwares proprietários gerais
  • Softwares proprietários adaptáveis “Softwares livres”

Os softwares denominados sistemas operacionais designam um conjunto de programas computacionais que controlam o hardware do computador e atuam como interface para os programas de aplicação. São eles que executam as “funções de gerenciamento” e controle de acesso aos recursos de processamento e dos arquivos do sistema.
Os softwares denominados “aplicativos” designam um conjunto de sistemas desenvolvidos por programadores, utilizando os recursos do sistema, para solução de problemas do cotidiano da organização. O cálculo da folha de pagamento, um sistema de contabilidade, o controle de estoques e outros sistemas gerenciais.
Os softwares denominados de “produtividade” designam um conjunto de sistemas desenvolvidos por programadores, utilizando os recursos do sistema, voltados para o desenvolvimento de tarefas específicas do dia-a-dia, tais como digitação de cartas e memorandos (editores de texto tipo Word), montagem de apresentações (softwares de autoria tipo PowerPoint), desenvolvimento de cálculos e projeções (planilhas tipo Excel), edição de fotos (Photoshop), etc.
Os softwares denominados “utilitários” designam um conjunto de programas desenvolvidos por programadores, utilizando os recursos do sistema, voltados para o desenvolvimento de trabalhos voltados para manutenção e correção de erros no ambiente. São assim considerados, os programas antivírus, os programas que fazem cópias e acertos em discos rígidos e uma infinidade de tarefas menores.
Os softwares para atendimento de necessidades específicas, são programas desenvolvidos por usuários, para desenvolver pequenas rotinas do seu dia-a-dia e podem utilizar qualquer tipo de programa anteriormente citado.
Quando os direitos autorais são reservados e o produto é colocado à venda no mercado estes softwares são considerados como proprietários e podem ser comprados em seu formato geral, que não permite alterações ou em formato adaptável de acordo com as necessidades do usuário.

“Softwares livres” são desenvolvidos por uma comunidade de programadores, que desenvolvem rotinas complementares e resolvem problemas de erros, sendo estes programas colocados a disposição para uso, sem apresentar custo de compra, podendo haver custos de instalação e manutenção.
Um dos aspectos importantes dos programas é a forma como os usuários se comunicam com os sistemas. Esta comunicação foi durante muito tempo baseada em linhas de comando até que se criam as denominadas interfaces gráficas entre a máquina e o usuário. Elas obedecem a critérios ergonômicos e na atualidade seu parâmetro de avaliação é denominado usabilidade. O conceito é sempre citado sempre que algum usuário estiver em frente a algum objeto físico ou abstrato. Neste momento podemos determinar seu grau de usabilidade de acordo com o conceito que apresentamos ao lado.

Você pode gostar também de ler...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *