Aspectos a salvaguardar do contrato de distribuição

O contrato de distribuição deve ser redigido por um advogado com experiência de direito internacional e que conheça bem as leis do mercado de exportação, devendo conter, no mínimo, os seguintes componentes: identificação das partes contratantes, período de validade, área de atuação, produtos cobertos, compromissos legais, direitos e deveres do produtor e do distribuidor bem detalhados.

O financiamento em crédito pode ser utilizado para melhorar os resultados do distribuidor, por isso, a empresa deve:

  • Oferecer condições de crédito concorrenciais (prazos, formas de pagamento).
  • Dar boas condições de acesso a novos distribuidores ou aos que trabalham em mercados muito concorrenciais.
  • Oferecer preços especiais para grandes encomendas ou vendas em expansão.
  • Apoiar os distribuidores para ultrapassarem dificuldades de câmbios e obtenção de financiamentos locais.
  • Partilhar custos de promoção e publicidade com os bons distribuidores.

Para desenvolver a lealdade do distribuidor a empresa deve:

  • Fazer reuniões periódicas com os distribuidores.
  • Enviar brindes e amostras grátis aos distribuidores que ostentem o nome da empresa.
  • Premiar os bons resultados com prêmios monetários, viagens, etc.
  • Incluir o nome dos distribuidores bem sucedidos nos anúncios.
  • Efetuar formação contínua de distribuidores.
  • Celebrar com os distribuidores bem sucedidos um contrato de exclusividade.

FONTE: http://www.portugalglobal.pt/PT/Internacionalizar/GuiadoExportador/Paginas/453CanaisdeDistribui%C3%A7%C3%A3o.aspx

Você pode gostar também de ler...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *