Marketing Tradicional x Marketing Eletrônico

Apesar do pouco tempo de existência a Internet possibilitou que várias teses de marketing que antes eram somente modelos tecnicamente impossíveis de se realizar fossem colocados em prática, muitas experiências estão sendo desenvolvidas baseadas nesta nova forma de trabalhar o marketing. (VILHA; AUGUSTINI, 2002)

Kotler (2009, p. 257) enfatiza que:

O comércio eletrônico movimenta bilhões de dólares, e a expectativa é de que cresça exponencialmente. O ciberespaço prenuncia uma era em que o processo de compra e venda torna-se mais automatizado e conveniente. As empresas conectam-se entre si e com os clientes em uma rede virtual homogênea. A informação na Internet flui pelo planeta em um instante e sem custo. As partes vendedoras têm mais facilidade para identificar as melhores partes vendedoras e os melhores produtos. O tempo e a distância, que representaram grandes custos e barreiras comerciais no passado, encolhem imensamente. Os comerciantes que continuarem a vender nas formas antigas lentamente desaparecerão de cena.

Kotler (2009) destaca que a revolução da informação e o ciberespaço modificam substancialmente o panorama do marketing e realinham o destino de diversos participantes do processo de entrega de valor. E acrescenta: “os canais eletrônicos predominarão sobre os canais de lojas de varejo”. (p. 263)

Merino (2006) alega que avaliando o marketing tradicional e comparando-o ao marketing digital pode-se considerar no mundo atual que o marketing eletrônico é uma evolução do marketing tradicional considerando fatores como:

  • Abrangência de camadas fortemente formadoras e multiplicadoras de opinião;
  • Oferece benefícios que mídia alguma oferece, como por exemplo, interatividade imediata com o consumidor potencializando o efeito da mensagem publicitária, se bem criada e produzida;
  • Redução de custos e maior agilidade com relação a fornecedores;
  • Acesso fácil e rápido às informações dos produtos e/ou serviços;

Sendo assim, o marketing eletrônico precisa oferecer pelo menos uma vantagem para que o consumidor se interesse pela venda on-line como, por exemplo, preço menor, maior sortimento de produtos, serviços diferenciados, maior conveniência, gratificação imediata (entrega rápida) ou ainda entretenimento e maior divertimento. (MERINO, 2006)

Kotler afirma que o marketing eletrônico, comparado ao marketing tradicional “abriu as portas para que as empresas novas e voltadas para nichos de mercado, com pouco capital, alcancem o mercado mundial.” (2009, p. 257)

O marketing eletrônico pode ser realizado por qualquer empresa, independente do seu porte, bastando apenas que as organizações se disponham a investir no relacionamento com seus clientes, ouvindo e entendendo suas necessidades. (MERINO, 2006)

Para Merino (2006), toda a ação via Internet que visa ampliar os negócios da empresa obtendo mais informações dos clientes e de novos clientes pode ser considerado como marketing eletrônico, envolvendo campanhas de relacionamento com seu público-alvo e o fortalecimento de sua marca no mercado, utilizando recursos digitais pré-estabelecidos em planos de marketing que vise, principalmente, estabelecer um relacionamento com o seu público através de conteúdos informativos de seu interesse.

No Quadro 1 podem ser observadas as principais diferenças entre o marketing convencional e o marketing eletrônico, de acordo com os 4Ps do marketing – Produto, Preço, Praça e Promoção.

Quadro 1 – Diferenças entre o marketing tradicional e o marketing eletrônico

 

Quanto ao produto

Marketing Tradicional Marketing Eletrônico
– exposição dos produtos nas prateleiras ou em vitrines, onde o cliente toca, experimenta ou saboreia;- são lançados seguindo o sistema de produção da empresa – diferenciado pela comodidade e rapidez na compra, os catálogos online, mostram as fotos das figuras com fichas técnicas e informações detalhadas dos produtos e serviços;- o sucesso das vendas on-line ainda é governado pela exposição ao mercado alvo correto.

 

Quanto ao preço

Marketing Tradicional Marketing Eletrônico
– a diferenciação de preços depende da seleção pelo próprio consumidor na loja e negociações com o vendedor. – sites de pesquisa de preço que reflete na competitividade de preços on-line;- a Internet reintroduziu leilões, ofertas, pechinchas… Isto altera o comportamento do consumidor. A marca não mais garante uma proteção para fixação de preços.

 

Quanto à praça

Marketing Tradicional Marketing Eletrônico
– endereço físico da loja;- alcance do bairro limitado até a cidade onde se localiza a loja;- usa segmentação baseada em perfis demográficos e psicográficos dos atuais consumidores;- os canais de distribuição dependem de intermediários ou de venda por vendedores;

– logística mais planejada.

– lojas, shoppings virtuais oferecem canal direto de compra na forma de catálogos eletrônicos on-line, sendo entregue na casa do cliente;- endereço virtual da loja na Internet;- usa dados sobre comportamento real para identificar consumidores e modelos estatísticos para acessar seu potencial individual de consumo e retorno;- alcance global;

– logística mais complicada dificultando o prazo de entrega.

 

Quanto ao preço

Marketing Tradicional Marketing Eletrônico
– a diferenciação de preços depende da seleção pelo próprio consumidor na loja e negociações com o vendedor. – sites de pesquisa de preço que reflete na competitividade de preços on-line;- a Internet reintroduziu leilões, ofertas, pechinchas… Isto altera o comportamento do consumidor. A marca não mais garante uma proteção para fixação de preços.

 

Quanto à Promoção

Marketing Tradicional Marketing Eletrônico
– promoções são distribuídas por área geográfica;- a comunicação é projetada para a “média” ou indivíduo “típico” de um público-alvo – mala direta ou catálogos para residências;- anúncios em revistas, jornais e outdoors; – promoções são organizadas de acordo com o histórico de comportamento de consumo do indivíduo;- a comunicação é individualizada e baseada em informações detalhadas do consumidor;- o uso do e-mail marketing é mais eficiente e mais barato do que via correio;

Texto por: Roberta Manfron de Paula, Daiane Leal Costa, Flávia Larissa Bandeira Guedes de Almeida

Você pode gostar também de ler...

2 comentários em “Marketing Tradicional x Marketing Eletrônico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *